Colunas


Nelsinho anuncia saída da Aredesma



Em anos anteriores, o presidente Nelson Se­veriano já havia manifestado certo cansaço por estar à frente da Aredesma, mas conseguimos ? o apelo dos desportistas e atletas foi maior ? dissuadi-lo dessa ideia e ele se manteve na condução do projeto do futebol para os másters e sêniores. Porém, os acontecimentos, ocorrências, enganações e as decepções do ano de 2018 fizeram com que o cansaço voltasse com muita força e o desânimo se instalasse de vez. Desta vez, o ?presidente? está mais insistente em sua intenção.
Está bem mais difícil derrubar a ideia dessa vez. O principal problema é a questão da verba prometida e a forma como as pessoas envolvidas trataram a situação. Faltou respeito a uma entidade tão importante e reconhecida na região pela seriedade e organização. Na própria entrega da premiação, no dia 16, foi demonstrado pouco entusiasmo, comparando-se a outros encerramentos de competições. A falta de compromisso obrigou a Nelsinho ?arrumar?, de última hora, o som, que segundo consta, teria sido prometido. Foi notada, também, a ausência/permanência de algumas autoridades do esporte da cidade e região. Na oportunidade, ao deputado Glaycon Franco foi comunicado também que, para os próximos anos os valores que forem destinados à entidade devem ser depositados direto na conta da Aredesma, caso contrário serão devolvidos.
Foi muito desgastante para a Aredesma e seus di­retores, que estão na cabeça da organização há mais de 37 anos, o envolvimento de seus nomes em situações tão complicadas.Em entrevista exclusiva ao Jornal COR­REIO e à Rádio Cidade 98 FM, Lilinho deixou bem claro: ?Se no ano que vem for destinada alguma verba para nós, essa verba terá que vir direto para a conta da Aredesma. Nós somos uma entidade reconhecida, de utilidade pública municipal e estadual e estamos preparando para nos tornarmos reconhecidos em nível federal. Temos um nome a zelar. Que sejam R$10, se não vierem direto, serão recusados?, reclamou Almeida.
Outro fator que a entidade pretende definir tem relação com a utilização e manutenção dos campos para evitar as indefinições ocorridas este ano. ?Temos que ver também a questão dos campos. Por exemplo: tivemos que tirar a final do estádio Santa Matilde, porque o mato no entorno do campo estava muito alto e não havia condições de uso?, destacou Nelsinho. A direção também reclamou de algumas dificuldades colocadas pelos dirigentes de clubes, entendidas como falta de colaboração em momentos importantes das competições.
Diante das alegações dos comandantes da entidade, na entrega das premiações, jogadores, dirigentes e desportistas entoaram o refrão de ?Fica, Nelsinho?. Se Nelsinho e Lilinho deixarem a Aredesma, a entidade acaba. Essas palavras foram ouvidas repetidas vezes no Tabuleiro da Chapada.A Aredesma é a entidade mais respeitada do futebol da cidade e região. Além de possuir toda a documentação e estar apta a fazer a atualização que for necessária, a Associação tem os registros oficiais como ?utilidade pública? no município e no estado e já está com a documentação encaminhada para o registro de ?utilidade pública federal?.


Escrito por Esporte, no dia 04/01/2019