Graziele Mendes


Nutricionista alerta para os perigos de uma má alimentação no inverno



Cada época do ano tem suas características e requer cuidados específicos para promover a saúde e prevenir doenças. Com a chegada do inverno, é necessário cuidar da imunidade para combater as doenças frequentes nesse período, como gripes e resfriados, além de evitar os exageros alimentares, que aliados à diminuição de atividades físicas, levam ao excesso de peso. Afinal, baixas temperaturas convidam a ficar mais quietinho, em lugares fechados, comendo alimentos geralmente mais calóricos: uma soma de comportamentos que devem ser evitados.

Não é à toa que o índice de infarto nessa temporada é maior, decorrente de uma alimentação rica em gordura, falta de atividade física peso elevado. Por isso, a nutricionista Graziele Mendes alerta: é preciso fazer uso de uma dieta equilibrada, com qualidade nutricional e na quantidade adequada para o gasto de energia. “É verdade que o gasto calórico se eleva cerca de 10% no inverno para nos mantermos aquecidos e isso pode ocasionar o aumento da necessidade de ingerir mais calorias. Geralmente, alimentos ricos em gorduras e açúcares são consumidos com mais frequência. Alimentos quentes são os preferidos, como caldos, para aumentar a temperatura. E eles até podem ser bem saudáveis. O grande problema está no consumo de caldos são alguns ingredientes como bacon, linguiça, tempero Sazon, pão e queijo, que elevam o valor calórico”, alerta.

De acordo com a nutricionista, mesmo nos dias frios, o consumo de vegetais, frutas e legumes é essencial. “Eles aumentam a saciedade. E além de fornecerem vitaminas e minerais, são uma forma saborosa para hidratar o organismo, por conter  água. Sendo assim, utilize-os em seus caldos, deixando-os  mais ricos”, orienta. As vitaminas A, C, D, E e ácido fólico, além dos minerais zinco, magnésio e selênio, são os nutrientes que, definitivamente, não podem faltar na alimentação durante o inverno. “Eles são responsáveis pela ação antioxidante, manutenção da integridade das mucosas (parte interna do nariz e olhos, e de órgãos internos), formar e ativar as células imunológicas (leucócitos, células T, mastócitos, etc.) e manter o ciclo do DNA funcionando bem. Ovos, castanhas, nozes, folhas verde escuras, peixes, leguminosas e frutas cítricas são alguns dos alimentos fontes”, lista.

 

De olho na balança

Uma forma de manter-se satisfeito sem aumentar muitas calorias é fracionar as refeições, incluindo frutas com aveia, castanhas, etc. A ingestão hídrica não deve ser esquecida em dias de temperaturas baixas, pois o consumo adequado é fundamental para transportar nutrientes, hidratar a pele e as mucosas que ressecam mais no frio e manter nossos rins funcionando, além de proporcionar também saciedade. “Não abandone a atividade física. Além de ajudar na perda de peso, praticar exercícios físicos no inverno aquece nosso corpo e fortalece nosso sistema imunológico. Quando nos exercitamos, o número de leucócitos aumenta e  a hipertermia (aumento da temperatura corporal) favorece a formação de linfócitos. Essas células são responsáveis por combater vírus, bactérias, tumores”, revela.

 

Sopa de abóbora, couve e gengibre

Ingredientes: 1/2 colher de óleo, 1 cebola média picada, 2 dentes de alho picados, 1kg abóbora descascada em cubos, 4 xícaras de água, sal, pimenta do reino, noz moscada, gengibre ralado, salsa, 4 folhas de couve picadas finamente.

Modo de preparo: refogue a cebola e o alho. Acrescente a abóbora. Adicione a água e tempere com sal e pimenta. Cozinhe por 30 minutos. Acrescente uma “pitada” de gengibre, processe a sopa, tempere com a noz moscada. Finalize com a salsa picadinha e a couve. Experimente. É saudável, saboroso e termogênico.

Graziele das Graças T. Mendes

Nutricionista pós-graduada em Nutrição Clínica e Esportiva.

Agende sua consulta (31) 98490-5179 (31) 99880-2324



Você está lendo o maior jornal do Alto Paraopeba e um dos maiores do interior de Minas!
Leia e Assine: (31)3763-5987 | (31)98272-3383


Escrito por Graziele Mendes, no dia 06/08/2019

Graziele das Graças T. Mendes


Nutricionista pós-graduada em Nutrição Clínica e Esportiva


Comente esta Coluna