Colunas


Em busca do tucunaré de Felixlândia



Uma vez mais, o nosso esquadrão pesqueiro voltou à ação. Como de costume, o local escolhido foi a represa formada pelo Rio Paraopeba, próxima a cidade de Felixlândia. A equipe dessa vez viajou desfalcada dos recordistas de pesca do ano anterior, Xavier, Marcone e Gustavo, mas levou como reforço o estreante André. Participaram da pescaria Delio, Cleytinho, André, Char­les, Gelinho, Careca, Biscoito, Die­guinho e Charles Xavier.

Partimos de Lafaiete, no dia 27/09,  com destino a Sete Lagoas para juntarmos aos companheiros de lá - segundo eles, os mais experientes na captura dos tucunarés da região. Ao chegarmos no destino, uma bela surpresa: mesmo de longe não se via os aguapés, que tanto nos importunaram nos anos anteriores. Tal­vez, um prenúncio de boa pescaria e que nos dava também a oportunidade de nos locomover de barco pela represa. O lado negativo foi a baixa turbidez e vazão da água; a água límpida deixa os tucunarés mais ariscos.

Embora o local desse tipo de pescaria apresentasse difícil acessibilidade, e os tu­cunarés viessem  somente nas iscas vivas, ig­norando as artificiais, o saldo foi positivo. Foram apanhados belos exem­plares e tivemos tam­bém o privilégio de comtemplar a beleza formada pelo cardume dos tucunarés. Foram apanhados também trairas piaus e piaparas.

Para aqueles que não conseguem boa pescaria, lá tem a opção de comprar belas tilápias a preços módicos em um criadouro local. Em nosso retorno, dia 30/09, deparamos com a bela e exuberante presença de um lobo guará, que tranquilo e majestosamente atravessava a estrada à pequena dis­tância de nossa condução.


Charles xavier

Pescador


Escrito por Pesca, no dia 26/10/2018