Quarta, 08 de Julho de 2020
Comunidade


Rede Família vai traçar o mapa da pobreza em CL



 

O projeto Família Presente foi criado em 2017, buscando conscientizar os pais e responsáveis por crianças e adolescentes da importância do ato de educar. Mas percebendo que algumas famílias precisavam de um auxílio mais específico foi criada Rede Família CL-MP. E neste período de pandemia, a Rede assumiu uma função fundamental:  auxiliar emergencialmente os mais necessitados. Mais de 1.000 cestas básicas já foram doadas e, com o cruzamento de dados das entidades e órgãos públicos integrantes, está sendo possível traçar quem são e onde estão os mais necessitados de Lafaiete.

Ao todo, 36 entidades fazem parte da rede: “As entidades integrantes da Rede Família CL-MP estão trabalhando intensamente na pandemia e assistindo centenas de famílias. Só no mês de maio, quase 1.000 cestas básicas foram entregues aos necessitados. A Rede Família, em nome de todos os integrantes, está também recebendo doações diretamente, no quartel da Polícia Militar. O que for arrecadado será distribuído a quem precisa, mas mediante a verificação prévia da real necessidade”, explicou a Promotora de Justiça, Aléssia Alves de Alvarenga Santa Bárbara.

Na Rede Família, o Ministério Público tem o papel agregador, de articulação, que conecta as entidades e poder público e as entidades continuam com o trabalho que já desenvolviam na comunidade: “Já temos um sistema e um banco de dados conjunto que as entidades podem consultar antes de fazer suas doações, a fim de destiná-las a quem está, de fato, precisando. Por exemplo: há entidades que os componentes são do grupo de risco e não podem assistir as famílias, mas possuem recursos a doar. Na outra, tem as possibilidades de ir nas casas, mas não possuem as cestas. Aí são feitas as conexões. Outro caso: uma entidade iria a um povoado para doar cestas básicas, e pela rede, soube que dias antes aquela comunidade já havia sido agraciada com dezenas de cestas por outro grupo integrante. Esses recursos foram redirecionados a outros carentes”, explica a promotora.

 

Dados

 

O cruzamento desses dados de todas as entidades tem sido fundamental: “A Rede Família criou um formulário no qual as entidades, ao receberem os pedidos de doações, colhem informações das famílias que permitem uma ajuda mais qualificada, que possa ir além do alimento e pelo tempo necessário, numa análise personalizada de cada núcleo familiar assistido. Ela possui dados conjuntos, em um sistema informatizado – doado pelo professor Alex, voluntário da Loja Maçônica Fraternidade Lafaietense, juntamente com seus alunos da UFSJ. Com ele, os integrantes as entidades podem fazer solicitações e doações de cestas básicas. É possível saber, ainda, quantas famílias cada um dos integrantes está assistindo, preservando, claro, dentre os operadores, o sigilo das informações e a privacidade de cada assistido, evitando fraudes, desvios e duplicidades”.

A promotora informou que, em breve, mais um passo para essa organização será dado e será criado dado: “Pela dedicada atuação da Central da Solidariedade e do trabalho voluntário do  professor Jean, da Unipac,  um sistema de dados mais amplo vai ser oferecido às entidades e  que permitirá a estas inclusive ter acesso a um mapa da pobreza em nosso município”.

Também pela rede, foi criado um grupo de voluntários, chamado “Braço Forte”, que são os recursos humanos disponíveis para as diversas necessidades. Tem um grupo que oferece o direcionamento gratuito para o suporte psicológico, o Viralize Amor; os celulares de plantão, para orientações e informações e o Cejusc, do Poder Judiciário o Município e uma voluntária, Neuza, do grupo Matemática e Solidariedade, que se dispôs a ajudar na orientação quanto aos benefícios assistenciais. “A Rede Família tem a consciência de que é portadora do fruto da solidariedade da comunidade lafaietense, extremamente sensível e solidária, e busca honrar essa confiança, agindo de forma a assistir todas as famílias que realmente precisam, e evitar fraudes e desvios, principalmente nesta época eleitoral”, pontua Aléssia Alves.

 

Quem faz parte da rede

 

O  Movimento Familiar Cristão, Só Amor, Central da Solidariedade, Rádio Queluz, Paróquia Nossa Senhora da Conceição, Mãos Ajudadoras, Grupo Es­pírita André Luiz,  Clube do Bem,  Loja Ma­çônica Lafaietense e Fra­ter­ni­dade Fe­minina,  Matemática e So­lida­riedade, Ca­sa do Teatro, Samaritanas, Rede de Amigos, Centro Espírita Be­zerra de Me­nezes, Obra Santa Filomena, Volun­tá­rios Anônimos, Rede Solidária, Conselho Central Vicentino Imaculada Conceição, Fraternidade Feminina Estrela de Queluz, Conselho Vicentino Sagrado Co­ra­ção de Jesus, Viralize Amor, Hos­pi­tal  Es­pírita,  Igreja Pres­bi­teriana Betel, Fa­mo­col, Asso­ciação Rompendo em Fé, Bazar do Bem,  Centro Adolescente Ativo, Polícia Mi­litar, Conselho Tutelar, Polícia Civil, Poder Judiciário (CEJUSC), Câmara Municipal, Defensoria Pública, Se­cre­taria de Assistência Social,  e o Ministério Público.

 




Você está lendo o maior jornal do Alto Paraopeba e um dos maiores do interior de Minas!
Leia e Assine: (31)3763-5987 | (31)98272-3383


Escrito por Redação, no dia 29/06/2020


Comente esta Notícia