Comunidade


Coronavírus pode pegar nos pets?



Desde que a OMS declarou situação de pandemia mundial pelo novo Coronavírus e vários países - incluindo o Brasil - tomaram grandes medidas de prevenção, praticamente estamos sendo bombardeados diariamente com notícias nas mídias, redes sociais e, principalmente, nos grupos do WhatsApp – ao qual devemos sempre ficar atentos quantos as notícias falsas. Uma gama de informações diz a respeito ao Corona e aos animais. Por isso, no texto de hoje reuni as principais informações que estão circulando a respeito e irei explicar um pouco sobre o fato.
Antes de entrarmos no assunto, é fundamental sabermos que Coronavírus é uma família de vírus que causa infecções respiratórias em seres humanos. Seu novo agente foi descoberto em dezembro do ano passado, após casos registrados na China e nova denominação para a doença é Covid-19. Os Coronavírus humanos foram isolados pela primeira vez em 1937 e, em 2002, ganharam notoriedade com o surgimento da SARS (Síndrome Aguda Respiratória) e 2012 com o Mers, que ficou restrito somente ao Oriente Médio.
Mas e os animais? No fim de fevereiro, autoridades chinesas detectaram a presença do vírus em um cachorro de estimação, cuja dona havia sido infectada. No entanto, a presença da Covid no pet foi extremamente baixa e, apesar de não ter apresentado nenhum sintoma, ele foi colocado em quarentena. Um caso segue sendo estudo. Porém, sem nenhuma afirmação até o momento se ele contraiu ou se apenas o vírus esteve presente superficialmente na pelagem do animal.

Animais podem transmitir?

Se você tem um animal de estimação, certamente deve estar apavorado. Mas acalme-se: conforme expliquei, não há provas de que animais podem transmitir esse novo Coronavírus para os seres humanos, nem para outros animais e muito menos se contraem a doença. Existe uma diversidade de Coronavírus que afeta somente os animais, como morcegos, galinhas, baleias, camundongos e suínos. Porém, são extremamente específicos para seus hospedeiros, não sendo capazes de serem contraídos por humanos ou transmitidos para outros animais.

Cuidados

Por mais que não existam provas, a situação de transmissão segue sendo e estudada e aquele famoso ditado “Prevenir é melhor que remediar” nunca esteve tão certo. Então, as medidas de prevenção e segurança, que todos nós estamos tomando, também devem ser adotadas com os nossos amigos de estimação.
Evite realizar passeios ao ar livre com o bichinho e faça com mais frequência a sua higiene, como escovar os pelos, banhos adequados e se proteja ao limpar suas fezes e urinas. Além disso, muitos tutores têm o costume de abraçar ou beijar o animal. A partir de agora, essas ações estão proibidas! Apesar de não ter a confirmação se os animais transmitem ou não a Covid-19, sabemos que se o animal estiver com o vírus esses atos de beijos e abraços podem facilmente fazer com que você contraía a doença e, aí sim, transmita para outros seres humanos.
Além disso, vale reforçar que devemos tomar as nossas próprias medidas de segurança, como por exemplo, higienizar muito bem as mãos e braços com água, sabão ou álcool em gel. E evitar sempre que possível estar presente em grandes aglomerações.

Abandonos

Infelizmente, com este medo todo e global, já se vê em muitos países europeus a triste cena de animais sendo abandonados. O pânico causado está fazendo com que as pessoas nem pensem duas vezes e abandonem ou sacrifiquem seus companheiros de estimação por medo de eles contraírem ou transmitirem o vírus. Deixo um apelo para que não façam isso! Os animais NÃO transmitem a doença e, mesmo se transmitissem, merecem todo o nosso cuidado, atenção, carinho e amor, assim como estamos tendo uns com os outros.

 

 

Serviço
R. Duque de Caxias, 352
 (31) 3721-1530
 saofrancisco@cvsf.com.br




Você está lendo o maior jornal do Alto Paraopeba e um dos maiores do interior de Minas!
Leia e Assine: (31)3763-5987 | (31)98272-3383


Escrito por Redação, no dia 26/03/2020


Comente esta Notícia