Quinta, 16 de Julho de 2020
Esportes


Goleiro James vive época de "pai diferente"



Amauri Machado

Ao longo de minha carreira, testemunho fatos e situações em que o esporte proporciona momentos extremamente emocionantes, em que o futebol oferece oportunidades das mais diversas de recuperação, superação e de motivação para nova vida. Há muitos anos acompanho o futebol do goleiro James Sebastião Costa. São muitos jogos, títulos e entrevistas há décadas, desde as quadras e campos de Congonhas e da região. Primeiro no futsal, sua agilidade e colocação facilitam as atuações e ele sempre foi um dos melhores da posição em Congonhas. Depois também no futebol de campo, James compensa sua baixa estatura com muita presença e elasticidade.


Para sua felicidade de pai, o filho, também chamado James é goleiro - e bom goleiro - campeão na Cidade dos Profetas, pela região e até no Minas Tênis Clube, de Belo Ho­rizonte. Aos 17 anos, o filho tem em mente dar uma refrescada no esporte para dedicar mais tempo aos estudos. Além do filho, James é pai de Jéssica, 22 anos, Jeniffer, 18, e da pequena Júlia, de 1 ano e 3 meses. Mais novinha, xodozinho da família, a ‘rapa de tacho’ exige mais cuidados de todos. Diagnosticada com ‘down’, a pequena não tem uma vida fácil. Aos dois meses ela teve que ser submetida a uma cirurgia, por causa de uma cardiopatia. “O sangue era bombeado direto para o pulmão e a menina corria risco de morte. Agora já operada, ela está bem. Um ano se passou e nós agradecemos muito a Deus e a Nossa Senhora Aparecida por tudo que ela nos traz de bom, por tudo que ela nos permite e pela forma como ela nos une”, completou James.


São quatro filhos e a esposa Lucilene, todos empenhados no dia a dia e nos cuidados com a pequena Júlia, inclusive a filha Jéssica, mesmo morando em outra cidade. Acompanhando a contagem cronológica, em 2014, James formou-se em Educação Física pela Fumec e, no fim de 2018, nasceu Júlia, necessitando de atenção e de conhecimentos que o pai adquiriu anos antes na faculdade - talvez aí um dos mais importantes momentos, senão o maior motivo para o agradecimento a Deus. E então, quis saber do próprio pai e professor qual a importância de ser um profissional de Educação Física e no que essa especialidade tem contribuído na criação de Júlia.


“Eu tenho uma filha de 22 anos, um casal de adolescentes com 18 e 17 anos e agora fomos agraciados com a vinda da Júlia, que está sendo muito especial para a gente. Ela está nos trazendo mais paciência, uma virtude a mais em ser pai. Um pai diferente, ainda mais zeloso, cuidadoso e por eu ter feito Edu­ca­ção Física, esse curso tem me ajudado na criação dela. Ela faz seu tratamento, mas eu tenho feito estímulos precoces em casa, tanto na parte cognitiva, quanto motora. Mesmo eu não sendo um fisioterapeuta, acompanho as sessões e montamos um espaço em casa, onde trabalhamos a parte fisioterápica, para que ela tenha uma qualidade de vida melhor”, sintetizou o professor.


Desejei sorte ao pai e também ao filho no esporte: “Eu agradeço a você pela oportunidade de falar sobre minha família. É muito gratificante ver você há tantos anos nos incentivando e apoiando o esporte da região. Hoje participando com o Astra/Mackenzie, vejo aqui um futebol bonito. É show ver Carlos Roberto, Betinho, Cabrita, Hélio, Ademir (de Miguel Burnier). A gente fica emocionado de ver esses caras fazendo um futebol de qualidade. Se faltam pernas, é lindo o início de uma jogada, a inteligência, o respeito que eles têm com a gente. Os treinadores da base deveriam aproveitar essa aula e trazer a garotada para ver. E muito diferente da televisão: você vê ao vivo o cara batendo na bola, fazendo a virada do jogo. É muito legal jogar com eles”, concluiu James, que é um dos goleiros da equipe congonhense.


James tem uma carreira invejável e sua vida é o próprio futebol. Entre seus muitos títulos, destacam-se as 20 finais no tradicional Torneio de Futsal de Férias de Congonhas, que teve sua 41ª edição disputada no ano passado, é cinco vezes campeão com o Praiano, 4 com o Kosmos, 2 com o Kaus e uma com o UMPB. Foi selecionado, por 18 anos, jogador da Seleção Congonhense de Futsal na disputa dos Jogos do Interior de Minas (Jimi). Foi Campeão Mineiro do Interior com o Carijós, de Lafaiete, e Campeão Metropolitano Mineiro de Futsal. No futebol amador de Congonhas, foi campeão duas vezes com o Esportivo e uma pelo Cachoeirinha.


James hoje é professor no renomado Colégio Sagrado Coração de Jesus, instrutor e diretor na Escolinha de futsal Gollaço, personal training e instrutor na Academia Império, no Esportivo e no Belvedere, além de desenvolver o projeto social Gollaço, no bairro Dom Oscar. O exemplo de atleta agora quer se consolidar como ‘um pai diferente’. James desenvolve, há anos, projetos sociais na Cidade dos Profetas e esporte. Além de ser sadio, é também um veículo que impulsiona e motiva a humanidade.

 

 




Você está lendo o maior jornal do Alto Paraopeba e um dos maiores do interior de Minas!
Leia e Assine: (31)3763-5987 | (31)98272-3383


Escrito por Redação, no dia 10/03/2020


Comente esta Notícia