Saúde


Sétima criança de Lafaiete contaminada com meningite segue internada em BH



Até o fechamento desta edição, permanecia internada em Belo Horizonte uma criança lafaietense contaminada com meningite. De acordo com informações da Secretária Municipal de Saúde, Rita de Kassia Silva M. Santos, o caso foi comunicado na noite de terça-feira, 26, pelo diretor do Departamento de Vigilância em Saúde, Diogo Silva. “Ele nos informou sobre uma criança residente em nosso município atendida e hospitalizada na FOB-Ouro Branco e que, posteriormente, foi transferida para um hospital em BH. Pela clínica e exames preliminares realizados ainda antes de ser transferida, constatou-se ser um quadro de meningite bacteriana, mas ainda sem o resultado de exame classificando o tipo da bactéria”, detalhou.
Ainda segundo a secretária de Saúde, o caso evolui bem. As ações de controle foram tomadas pelo setor, conforme orientações das referências da Superintendência Regional de Saúde de Barbacena e do Centro de Informações Estratégicas de Vigilância em Saúde (Cievs) do estado de Minas Gerais. Este ano, 21 casos suspeitos da doença foram notificados na cidade. Desses 21, 9 são provenientes de cidades da região e 12 são residentes em Lafaiete. 7 foram confirmados (entre eles, o da criança de 2 anos) e cinco, descartados.
Conforme explica o diretor de Vigilância em Saúde Diogo Dias Silva, a meningite é uma inflamação das meninges, membranas que envolvem o cérebro e a medula espinhal. “Existem vários tipos de meningite. Elas podem ser causadas por vírus; bactéria; fungos; parasitas dentre outras causas. Todos os tipos de meningite apresentam sintomas semelhantes, como febre; dor de cabeça; vômitos; rigidez de nuca, convulsões e petéquias. A principal diferença entre elas está na rapidez e na intensidade com que o quadro pode evoluir. Entre todos os tipos de meningite, as meningites virais e as bacterianas são as mais comuns e também são aquelas que podem causar surtos e epidemias”, explica.
Pelo diagnóstico inicial, o caso da lafaietense seria de meningite bacteriana, que é o tipo de meningite mais grave, podendo levar à morte se não for tratada a tempo. Suas causas mais comuns variam de acordo com o grupo etário: para recém-nascidos: Streptococcus do grupo B, Streptococcus pneumoniae, Listeria monocytogenes, Escherichia coli; Bebes e crianças: Streptococcus pneumoniae, Neisseria meningitidis, Haemophilus influenzae, Streptococcus do grupo B; Adolescentes e adultos jovens: Neisseria meningitidis, Streptococcus pneumoniae; Idosos: Streptococcus pneumoniae, Neisseria meningitidis, Haemophilus influenzae, Streptococcus do grupo B, Listeria monocytogenes.

Como evitar

A SMS orienta aos pais que mantenham o cartão de vacina de seus filhos em dia, atualizados. As vacinas estão disponíveis para prevenção das principais causas de meningite bacteriana. O SUS oferece quatro tipos de vacina para meningites bacterianas. São elas: BCG (uma dose ao nascer): que protege contra a meningite turberculosa; Pentavalente (doses aos dois, quatro e seis meses de vida): protege contra as infecções invasivas, entre elas a meningite causada pelo Haemophilus influenzae sorotipo b.
Meningocócica C (doses aos três e cinco meses, reforço com um ano. Adolescentes de 11 a 14 anos devem receber dose única como reforço): protege contra a doença meningocócica causada pela Neisseria meningitidis sorogrupo C; Pneumocócica 10 (doses aos dois e quatro meses e reforço com um ano): protege contra as infecções invasivas, entre elas a meningite causada por dez sorotipos do Streptococcus pneumoniae. Na dúvida se o cartão de seu filho está em dia, leve-o até a unidade de saúde mais próxima para avaliação. Outras formas de prevenção incluem: evitar aglomerações e manter os ambientes ventilados e limpos.




Você está lendo o maior jornal do Alto Paraopeba e um dos maiores do interior de Minas!
Leia e Assine: (31)3763-5987 | (31)98272-3383


Escrito por Redação, no dia 12/12/2019


Comente esta Notícia