Política


Glaycon discursa na Assembleia e defende equilíbrio em questões de interesse dos mineiro

Preocupado, deputado abordou, em sua fala, temas importantes, como a reforma administrativa e as escolas de tempo integral


Minas Gerais atravessa um momento delicado, que requer de seus gestores, políticos e administrativos, cautela, equilíbrio e bom senso na busca de soluções efetivas. Este foi o teor do discurso proferido pelo deputado estadual Glaycon Franco (PV) no plenário da Assembleia Legislativa, em Belo Horizonte. No pronunciamento, o parlamentar abordou diversos tópicos que o preocupam, como cidadão e homem público, e, so­bretudo, como representante eleito, para o terceiro mandato consecutivo, pela população do Alto Paraopeba, Vale do Piranga e Vertentes.
Segundo Glaycon, a primeira medida que os deputados precisam adotar é sanear as contas estaduais por meio da reforma administrativa: “Vivemos um momento em que as notícias são preocupantes, exigindo de nós muita coragem e muita reflexão. O momento também nos exige uma dedicação acima da média para que possamos, com equilíbrio e sabedoria, colaborar para sua solução. Em primeiro lugar, devemos organizar a casa. A reforma administrativa está tramitando e é muito importante para otimizar as contas do estado. Porém, te­mos que tomar cuidado para que órgãos im­portantes não sejam prejudicados”.
O deputado reiterou a preocupação com a possibilidade de redução da oferta de educação em tempo integral na rede estadual de en­sino: “Seria bom que não permitíssemos o en­fra­quecimento ou fechamento de nenhuma escola neste estado. Preocupam-me as notícias de cortes de vagas nos estabelecimentos que ofe­recem ensino em tempo integral. Trata-se de um programa que, além de vitorioso no cam­­po educacional, representa um instrumento de justiça social. As escolas em tempo integral, na sua grande maioria, encontram-se em áreas de grande vulnerabilidade, oferecendo um amparo adicional às famílias. Também não podemos permitir prejuízo aos mecanismos de combate ao uso do crack e de outras drogas”.
O atendimento prestado pela rede pública de saúde foi outra questão prioritária, para a qual Glaycon pediu especial atenção dos deputados: “Exorto-os a fortalecer os instrumentos que permitirão a conclusão dos hospitais regionais, tão necessários à melhoria da saúde em nosso estado. Também seria bom tentarmos diagnosticar e eliminar as diferenças de resolutividade em saúde entre as macrorregiões de Minas Gerais”.
Representante de uma região que subsiste, em grande parte, da receita proveniente do minério e do aço, Glaycon Franco está solidário à dor inominável causada pelo rompimento da barragem de Córrego do Feijão, em Bruma­dinho, mas pondera que não se pode relegar ao segundo plano a importância da atividade mi­nerária e siderúrgica, cuja alternativa é se mo­dernizar e não desestimular: “Como vice-presidente da Comissão de Desenvolvimento Eco­nômico, estou atento ao impacto causado ao setor privado, tanto por decisões, quanto por omissões do Poder Público. Assusta-nos a realidade da mineração. Somos um estado tradicionalmente minerador; nossas raízes estão no minério. Não há como, no atual estágio de nosso desenvolvimento, abrir mão da atividade minerária”.
O desenvolvimento sustentável, com respeito ao meio ambiente, também foi defendido com veemência pelo deputado Glaycon Franco: “Não admito riscos à nossa população, nem ao meio ambiente. Precisamos encontrar uma maneira de promover o desenvolvimento sustentável e seguro, principalmente no setor minerário. Temos que ser firmes e justos, mas não podemos demonizar a atividade dos mineradores. É necessário que se inicie um novo ciclo da mineração no estado. Não se pode ignorar esta importante cadeia produtiva, que gera bilhões de reais e movimenta diversos outros segmentos de nossa economia, leva o alimento à mesa de milhares de trabalhadores e contribui para o crescimento de muitas regiões do nosso estado”, salientou Glaycon Franco ao discursar na Assembleia Legislativa.




Você está lendo o maior jornal do Alto Paraopeba e um dos maiores do interior de Minas!
Leia e Assine: (31)3763-5987 | (31)98272-3383


Escrito por Redação, no dia 18/04/2019


Comente esta Notícia