Política


Prefeitura luta e junta dinheiro para quitar o restante do 13°



Janeiro já chega ao fim e a matemática não fecha. Com quase R$40 milhões retidos nos cofres do governo de Minas, a prefeitura de Lafaiete tem buscado uma maneira de equacionar seus rendimentos e gastos para quitar o restante do 13º salário dos mais de 900 servidores do município. Em sua maioria, professores que ganham acima de R$3 mil e que ainda não receberam o benefício.
Em entrevista ao jornal CORREIO e CORREIO Online, o secretário municipal da Fa­zenda, Cláudio de Castro Sá Filho, afirmou que o Executivo vem fazendo esforços no sentido de quitar, até o dia 30 de janeiro, os valores em aberto. Para isso, o município necessita de, pelo menos, R$3,4 milhões, mas não ainda não conseguiu juntar toda essa quantia. "A orientação é de que todo recurso que entre nos cofres seja usado para pagar os servidores", disse ele.
Cláudio fez questão de frisar que o que está acontecendo foge da competência da prefeitura e é fruto da falta de repasses do governo estadual, que deu 'calote' no município em, praticamente, todo o ano de 2018. De acordo com o secretário, apesar do alto valor em repasses não liberado em 2018, e o governo de Romeu Zema conseguir enviar os recursos deste ano, a situação deve se estabilizar. De acordo com o levantamento mais recente feito pela Associação Mineira dos Municípios, a dívida do governo do estado com os municípios gira em torno de R$12,6 bilhões.




Você está lendo o maior jornal do Alto Paraopeba e um dos maiores do interior de Minas!
Leia e Assine: (31)3763-5987 | (31)98272-3383


Escrito por Redação, no dia 25/01/2019


Comente esta Notícia