Opinião


Desafios da maternidade: saiba como aliviar cólica em bebê recém-nascido com as dicas de Letícia Lorrayne



Hoje irei falar de um assunto que para muitas mães de primeira viagem é um bicho de sete cabeças: as cólicas! Elas são, realmente, um bicho de sete cabeças, não posso negar. Mas é natural, e às vezes não temos como escapar.

 Não é porque você comeu feijão ou quaisquer outras leguminosas, tomou café, leite, etc e amamentou que seu filho irá adquirir as famosas e terríveis cólicas. Avisem as vovós, as titias e as bisas que não é bem assim, até porque, os bebês que mamam fórmulas então não sentiriam cólicas, certo? Primeiramente desagarre desse mito. No seu pós-parto, coma MUITO feijão (você perdeu muito sangue e precisa repor seu estoque de ferro); tome MUITO leite, você precisa do cálcio; e assim por diante.

 Entenda que, a cólica é um fato que acontece de amadurecimento do intestino do seu bebê, e isso dói, mas é normal. Serão, talvez, noites em claro e de desespero com um choro que parece eterno, mas seu filho precisa de você, por isso, por mais difícil que seja, mantenha a calma e tenha em mente que é só uma fase e irá passar.

    Na maioria das vezes, as cólicas duram em média até três meses, mas cada bebê reage de uma forma. Uns demoram mais, outros bem menos e existem os medicamentos para acelerar esse processo de amadurecimento da flora intestinal, além de existirem também os medicamentos que aliviam a dor. Mas, com o Heitor usei vários métodos naturais que funcionaram muito bem com a gente, e pode ajudar você também.

 As bolsas quentes (aquelas bem baratinhas) ajudam muito, porque  o calor favorece a vasodilatação facilitando o fluxo sanguíneo relaxando a musculatura, diminuindo o desconforto abdominal. Além disso, as massagens em movimentos circulares com ume lave pressão várias vezes ao dia também viraram rotina, aliviando os gases acumulados que geravam dor ao final do dia; o contato pele com pele acalmava mais do que qualquer medicamento.

 Por fim, não desespere. Não deixe de comer porque amamenta. Não ache que só você está passando, ou passará por isso. Estamos juntas na eterna corrente materna, sempre.


Autora: Letícia Lorrayne de Carvalho Souza




Você está lendo o maior jornal do Alto Paraopeba e um dos maiores do interior de Minas!
Leia e Assine: (31)3763-5987 | (31)98272-3383


Escrito por Redação, no dia 13/12/2018


Veja também



Comente esta Notícia