Saúde


Melasma: saiba o que provoca e como tratar o pesadelo das mulheres



Manchas na pele são mais comuns do que imaginamos. Se pensarmos nos diversos tipos de manchas que existem, difícil será achar uma pessoa que não apresente algum tipo delas. Porém, entre elas, existe uma característica comum: a maioria é agravada pela exposição excessiva ao sol. Conforme explica a farmacêutica e especialista em estética avançada Ana Paula Alves André, um tipo específico de célula ? o melanócito, responsável pela pigmentação da pele - reage a diversos estímulos e agressões produzindo melanina, o pigmento que dá cor a nossa pele, mas que também causa manchas quando há uma produção desordenada e exacerbada.  "O tipo de agressão a que mais estamos expostos diariamente é a radiação solar", explica.

Algumas manchas não são nocivas e não indicam a presença de nenhuma doença, mas incomodam em termos de aparência. Destas, aquela que mais motiva a procura por tratamento, com certeza, é o melasma:  motivo que levou 23% dos homens e 29,9% das mulheres a procurar tratamento, conforme divulgado em um estudo sobre a epidemiologia do melasma na populac?a?o brasileira. "O melasma é uma condição crônica de excesso de produção de melanina, que leva à pigmentação exagerada. É causado principalmente pela exposição da pele ao sol, sendo mais comum nas regiões frontal (testa) e malar (bochechas). No Brasil, a maior frequência de melasma ocorre entre mulheres com idade entre 20 e 40 anos", detalha Ana Paula.

Tratando o problema

Apesar de não apresentar complicações mais graves para a saúde, o desconforto estético provocado pelo melasma pode desencadear problemas de baixa autoestima, depressão, ansiedade e outros transtornos mentais. Por isso, é importante tratar a mancha. E hoje há vários caminhos para isso. Conforme situa a especialista, atualmente, os tratamentos sugeridos para o melasma são a prevença?o da radiac?a?o UV por meio de bloqueadores solares, agentes clareadores tópicos, peeling superficial, microagulhamento (com restrições) e algumas terapias de luz e laser. "É preciso ressaltar que somente alguns tipos de laser podem ser usados e, mesmo assim, com restrições, como, por exemplo, o laser Q-switched. Porém, com taxas altas de recidivas (64%-81%)", adianta.

Também segundo Ana, tratamentos que envolvem laser ainda na?o sa?o suficientes para a eliminação total do melasma e demais lesões de hiperpigmentac?a?o (excesso de melanina), mas são terapias coadjuvantes importantes no tratamento. "Os tratamentos de maior sucesso para o melasma geralmente são aqueles que combinam procedimentos estéticos e tratamentos tópicos com cremes que contenham agentes clareadores, também com uso de medicamentos bloqueadores hormonais antiestroge?nicos, inibidores do fator de crescimento de vasos e antioxidantes que diminuam a formação de radicais livres", cita.

Como se prevenir

Usar protetor solar todos os dias, independente do clima, é um dos cuidados que você deve tomar se o melasma ainda não é um problema para você, ou se a sua intenção é tratar ou não agravar o quadro. Isso é essencial porque a radiação solar atravessa as nuvens, os vidros do carro e das janelas. Mas apesar de uma medida muito importante, ela não é a única: "Para evitar a estimulação da produção de melanina, é recomendável manter-se longe de fontes de calor, como churrasqueiras, fogão, saunas, automóveis expostos ao sol, entre outros. Proteções físicas, como chapéu e guarda-sol, de preferência aqueles que são confeccionados com tecido com proteção solar UVA/UVB, complementam esse cuidado", explica.

Há cuidados que também são essenciais ? e são feitos de dentro para fora. "Mulheres em idade fértil devem tentar optar por métodos contraceptivos não hormonais. Já as que estão na menopausa devem conversar com seu ginecologista sobre os riscos e benefícios das terapias de reposição hormonal, que podem piorar o melasma", acrescenta a farmacêutiaca. A alimentação também influencia: "Alimentos ricos em antioxidantes ajudam a prevenir diversas doenças - inclusive melhoram a proteção natural da pele contra os raios solares. Os antioxidantes combatem os radicais livres do nosso corpo, que são um fator agressor importante e isso ajuda a diminuir o estímulo para a produção da mancha. Para algumas pessoas, o uso de suplementos antioxidantes pode ajudar a suavizar os danos causados pela radiação solar", informa.

Serviço

Ana Paula Alves André

Farmacêutica, bioquímica, mestre em Ciências Farmacêuticas, especialista em Farmácia Clínica, Estética e Cosmética.

Contatos: 31-99616-8435

 

 

 



Você está lendo o maior jornal do Alto Paraopeba e um dos maiores do interior de Minas!
Leia e Assine: (31)3763-5987 | (31)98272-3383


Escrito por Redação, no dia 05/12/2018


Comente esta Notícia