Quinta, 16 de Julho de 2020
Silvio Lopes


História de Mengálvio e Dorotéia



Mengálvio e Dorotéia estão exaustos. Todo santo dia, e os dias são santificados, eles contam histórias diversas. Na verdade, histórias rebuscadas que seguem na direção da morte. O que se sabe, via de “fofocas de plantão”, é que tais histórias jamais foram postas no papel. Optaram eles, pela oralidade, em face de mentiras nem tão comprometedoras assim, acrescento, contudo, que estrangulam, nem que seja pouco, o raciocínio. Certo é, que o mais célebre dos ouvintes, termina por alegar o adiantado da hora e se vai. Outro, também ouvinte, roga perdão a Deus por escutar tão zelosas pessoas. Outrossim, soube-se ser uma quarta ou quinta –feira, ambas medidas a trapos e cascas de bananas, visto que muitos tropeçaram, escorregaram e, agora por conseguinte estão surdos , mudos e cegos. Mengálvio sempre foi um sujeito que não gosta do trabalho e muito menos da tristeza. Gosta de contar histórias sugestivas que acabam abortivas, lá no campo das ideias. Dorotéia, projeto de escopo – espiã, vigilante – não gosta de voltar para casa sem um frango gordurento debaixo do braço esquerdo. Encontram-se em uma dicotomia de dar dó. Por outro lado, a peludíssima mulher do Quaresma, gosta de interferir nas histórias, principalmente quando lhe chegam aos ouvidos, longe dos atores principais. Ela pode interpretá-las a seu modo e tempo. Resumindo, antes do arrefecer do texto, melhor contar da conclusão idiota : “Se o número de mortos aumentar é porque está subindo; se o número de óbitos diminuir é porque está descendo”. Que números e mortos são esses que aterrorizantes chegam à cada instante? De minha parte, apenas na qualidade de leitor de Franz Kafka é que pretendo subnotificar – notificar menos do que seria esperado ou devido - ao leitor, caso exista algum, que esta insânia – loucura, fatuidade – se apoderou do meu pobre espírito.

Sílvio Lopes de Almeida Neto
Abril 30, 2020.



Você está lendo o maior jornal do Alto Paraopeba e um dos maiores do interior de Minas!
Leia e Assine: (31)3763-5987 | (31)98272-3383


Escrito por Silvio Lopes, no dia 01/05/2020

Silvio Lopes de Almeida Neto


Advogado

silvioadvcrim@hotmail.com
(31) 9994-2807



Comente esta Coluna