Quinta, 16 de Julho de 2020
Graziele Mendes


Sal marinho, sal light ou sal rosa do himalaia qual utilizar



O sal passa por um processo de refinamento onde é retirado a maior parte de seus minerais, exceto sódio e cloreto, e são acrescentados produtos químicos para sua “limpeza” e branqueamento.

O sal marinho é um produto mais puro que o sal de cozinha comum, pois não passa por processos de refinamento, diante disso fornece uma quantidade elevada de minerais, entretanto com valores de sódio semelhantes ao sal de cozinha. Ou seja esse tipo comparado ao sal de cozinha contem mais nutrientes, mas suas quantidades de sódio equivalem.

O sal rosa do Himalaia também não passa pelo processo de refinamento e é rico em minerais. Por outro lado, seu valor torna-se de difícil acesso para maior parte da população podendo ser substituído por outro tipo que oferte nutrientes quanto

O sal light, por sua vez, é obtido a partir da mistura de 50% de cloreto de sódio e 50% de cloreto de potássio, sendo assim contem menor teor de sódio. Porém, indivíduos com restrição de potássio, como aqueles com doenças renais, devem ficar atentos, pois o consumo desse sal poderá aumentar a ingestão do mineral.

O consumo excessivo de sódio contribui para a probabilidade de adquirir várias doenças crônicas, como hipertensão arterial, doenças cardiovasculares, doenças renais, síndrome metabólica e câncer gástrico.

Segundo a OMS, o consumo adequado de sódio para um indivíduo saudável é de cerca de 2.400 mg ao dia, equivalente a 1 colher de chá. No entanto, segundo a Pesquisa de Orçamentos Familiares (POF), 2008-2009, o consumo médio diário de sal do brasileiro é de 11,4 g, ou seja, mais que o dobro da recomendação.

Evidencias cientificas mostraram que uma pequena diminuição no consumo de sódio, pode proporcionar benefícios para a saúde. Porem, reduzir o consumo de sódio da alimentação não é uma tarefa tão simples, visto que esse mineral não está presente apenas no sal que adicionamos no preparo dos alimentos, ele também é utilizado em conservas, salmouras e está presente em grande quantidade dos alimentos industrializados prontos para consumo, inclusive em alimentos doces, como biscoitos recheados e refrigerantes.

Uma dieta com baixos níveis de sódio não precisa ser uma refeição sem sabor, para isso basta substituir a inserção elevada de sal por ervas e temperos naturais. Uma boa opção é “sal de ervas”. Este consiste em uma mistura de partes iguais de sal, orégano, manjericão, alecrim ou qualquer outra erva aromática seca. A mistura do sal com as ervas auxilia na diminuição da quantidade de sal utilizada nas preparações, podendo ser utilizado em substituição ao sal de adição (na mesma quantidade) em pratos quentes e saladas.

Os temperos industrializados inclusive de alho e sal, não são recomendados por possuírem grandes quantidades de sódio e gorduras, além de outros aditivos sendo prejudiciais a saúde.

Sal de ervas

Ingredientes:

  • 25 g (1 colher de sopa) de sal
  • 25 g (5 colheres de sopa) de alecrim desidratado
  • 25 g (6 colheres de sopa) de salsinha desidratada
  • 25 g ( 6 colheres de sopa) de manjericão desidratado
  • 25 g (6 colheres de sopa) de orégano desidratado

Preparo:

Bata tudo no liquidificador e acondicione em um pote de vidro bem seco com tampa



Você está lendo o maior jornal do Alto Paraopeba e um dos maiores do interior de Minas!
Leia e Assine: (31)3763-5987 | (31)98272-3383


Escrito por Graziele Mendes, no dia 22/04/2020

Graziele das Graças T. Mendes


Nutricionista pós-graduada em Nutrição Clínica e Esportiva

grazielemendes6@gmail.com
(31) 98490-5179
(31) 99880-2324



Comente esta Coluna