Pesca


Carnaval 2019 no rio São Benedito



Carnaval é sinônimo de pescaria, e este ano não foi diferente. Voltei ao rio São Benedito, afluente do Teles Pires, na divisa dos estados do Pará e Mato Grosso, onde tenho pescado nos últimos anos nesta época.
Rio cheio, acachoeirado, águas rápidas, propício para a pesca dos grandes bagres amazônicos. No ano passado foram seis pirararas e quatro jaús, todos acima de 120 cm, mas este ano a pesca foi diferente.
O rio, normalmente começa a subir em janeiro, estando cheio no carnaval. Devido ao atraso das chuvas na região, o São Benedito tomou água na última semana de fevereiro e se encheu de uma só vez, o fato se deve ao fenômeno conhecido como repiquete, que não é comum naquela região. Ele altera a acidez da água de modo abrupto, e como consequência, o peixe fica manhoso e para de comer.
Os dois primeiros dias da aventura foram dedicados à pesca de fundo, com tralha pesada, atrás dos grandes bagres, mas esses não estavam ativos.
A partir do terceiro dia, parti para o plano B, tralha leve e iscas vivas, investindo nos peixes de escama, corvinas e cachorras largas, que estavam bem ativas. O São Benedito dá essa opção.
Foram cinco dias de bastante ação de pesca. Apesar de não ter saído nenhum grande exemplar, foram muitas cachorras, corvinas, barbados, jundiás, jaús pequenos e até uma minúscula pirarara, que brigou muito na tralha leve.
Apesar da condição adversa provocada pelo repiquete, o São Benedito não decepciona e sempre oferece boas pescarias. Carnaval de 2020, São Benedito que me aguarde.



Você está lendo o maior jornal do Alto Paraopeba e um dos maiores do interior de Minas!
Leia e Assine: (31)3763-5987 | (31)98272-3383


Escrito por Pesca, no dia 22/03/2019


Comente esta Coluna