Colunas


Frei 1452/2018



Parcelado

Os mais de R$11,5 milhões, dos quais R$7,5 milhões são líquidos, necessários para quitar o 13º  salário dos mais de 4,5 mil servidores do município, ainda não caíram nos cofres do município. A ex­pectativa do alcaide Mário Furacão Marcus era as parcelas do repasse do ICMS estadual, depositadas todo dia 10. No entanto, para desespero até do mais indiferente dos jacarés, o governo do estado acabou por reter grande parte desses recursos, o que deve inviabilizar os pagamentos.

13º salário

A expectativa, segundo apurou a coluna, é que o município de Lafaiete tenha recursos suficientes para quitar a metade do 13º da rapaziada, o que deve acontecer dia 20 de dezembro. A outra metade, caso a situação persista, deve ser depositada na conta dos servidores somente em janeiro.

Preocupação

Quem também demonstrou estar deveras preocupado com a situação financeira da prefeitura é o atual presidente da egrégia municipal, vereador Darcy José de Souza. Na reunião de terça-feira, dia 11, o edil anunciou que estava antecipando a devolução de R$500 mil não utilizados pela Câmara para os cofres do município. A ideia é ajudar o alcaide Mário a quitar parte do 13º salário dos servidores municipais.

Recorde

Darcy da Barreira, como é carinhosamente alcunhado o vereador, disse, ainda, que vai devolver mais recursos ao município até o fim do mês. Espera-se, agora, que o atual presidente supere o recorde absoluto do ex-presidente San­dro José dos Santos, que, em 2017, devolveu a quantia de R$845 mil para a prefeitura de Lafaiete. Será que o recorde será batido? Quem viver, verá!

Terno

Se o mundo não acabar e não acontecer nada de novo ? o que em política é muito difícil ? Fernando Bandeira (PTB) será o novo presidente da Egrégia Municipal, a ser eleito dia 18 de dezembro. As conversações e negociações de, bastidores caminham para sacramenta-lo líder máximo daquele trepidante recinto.

Liberdade ...

Finalmente, depois de longo e tenebroso inverno, a saúde pública de Lafaiete desvinculou-se totalmente de Barba­cena. Assim como no passado, dependíamos da polícia, já que não tínhamos Batalhão, da educação, do DEER-MG e, principalmente, da saúde. Tudo, de exames, autorizações, liberações de clínicas, e até ampliação de leitos em hospitais, que diziam respeito ao Sistema Único de Saúde (SUS), estavam atrelados a Bar­bacena.

... Ainda que tardia

Com o passar dos anos e um trabalho incessante de lideranças políticas locais, assim como ex-prefeitos, o quadro começou a mudar. Primeiro, com a chegada da Superintendência Regional de Ensino (SRE), nos anos 80, depois com a vinda do 31º BPM, em 98, e mais recentemente com a chegada de um escritório do DEER-MG, fruto do trabalho do deputado Glaycon Franco, que, nesta semana, anunciou também a chegada do escritório regional da Secretaria de Estado da Saúde, uma conquista sem tamanho que merece ser celebrada.  É por estas e também por outras, que este irascível Frei solta um foguetinho de 10 estalos para nosso simpático parlamentar.


Escrito por Frei Tibúrcio, no dia 21/12/2018