Colunas


Frei 1449/2018



Que coisa

Levantamento publicado nesta semana pelo Jornal CORREIO, nas páginas B4 e B5, revela que somente no trecho maldito de 66 km que separam Lafaiete do trevo de Ouro Preto, são em média UM acidente todo santo dia. Ou seja, quem viaja para BH tem um percentual grande de chance de se acidentar, mais que as outras rodovias no estado.

Absurdo

Além disso, o incauto enfrenta pontos de alagamento, buracos, pistas sujas de minério, falta de sinalização horizontal, acostamento e um pedágio de R$5,30 na ida e outro na volta da capital. Ou seja: dirigir um bólido pela temível, suja, nauseabunda e mortal 040 é o mesmo que participar de uma roleta russa. É mole?

Luz no túnel ( 1 )

Embora sem a participação da Via 040, que mais uma vez desrespeitou a população e as autoridades de Lafaiete, ao não comparecer na audiência pública do dia 19, o saldo do evento foi deveras positivo. Serão, a partir de agora, leia reportagem sobre o assunto na página 4 desta edição, três frentes de batalhas.

Luz no túnel ( 2 )

A primeira ação é o pedido, via Poder Judiciário, da interdição total e irrestrita do trecho de Lafaiete ao trevo de Ouro Preto. Já a segunda é uma viagem, a ser marcada ainda em dezembro, com prefeitos, vereadores e empresários, para entregar um documento à Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) exigindo que o perigoso trecho seja priorizado no ato da relicitação. E finalmente a paralisação pura e simples da temível estrada, de preferência na véspera dos feriados de fim de ano. É pegar ou largar.

Novidades

Depois de anunciar a inauguração de sua quinta loja, na Santa Efigênia, para a primeira quinzena de dezembro, o Supermercado Brasil, empresa genuinamente lafaietense, pretende lançar, no início do ano que vem, o Brasil Empório, a sexta e mais sofisticada loja do grupo, que funcionará onde hoje encontra-se instalado o Banco Santander. Além disso, o grupo prepara o grande lançamento de 2019, que ainda está sendo mantido a sete chaves e que, provavelmente, vai revolucionar o mercado regional. Quem viver, verá!

 


Escrito por Frei Tibúrcio, no dia 30/11/2018