Educação


O novo Ensino Médio (parte 1)



O presidente da Repblica, Michel Temer, e o ministro da Educao, Mendona Filho, anunciaram o Novo Ensino Mdio. Ser a maior mudana na educao nos ltimos 20 anos, desde a Lei de Diretrizes e Bases da Educao. Com foco na aprendizagem do aluno, na manuteno dos jovens na escola e na oferta de uma proposta curricular que atenda no apenas s necessidades individuais dos estudantes, a proposta tambm oferece oportunidades iguais aos principais pases do mundo. O Governo anunciou, tambm, que vai investir R$ 1,5 bilho em polticas de escolas em tempo integral para atender 500 mil novos estudantes de ensino mdio nesse regime at 2018. Em tempo: isso no foi cumprido. Sofrvel! 

?As crianas e os jovens do Brasil tm pressa. A educao precisa avanar?, afirmou o ministro Mendona Filho, ao apresentar a proposta. Um dos principais pontos do Novo Ensino Mdio a flexibilizao do currculo. Sero ofertadas quatro reas de estudo ? linguagens, matemtica, cincias da natureza e cincias sociais e humanas. O modelo trar, ainda, a formao tcnica e profissional dentro da carga horria do ensino regular.

?Hoje, cerca de 80% dos nossos jovens que terminam o ensino mdio no entram na faculdade e saem sem formao para o mundo do trabalho. Precisamos dar oportunidade para esses jovens?, ressaltou o ministro. A admisso dos alunos dever ocorrer por proximidade da escola pblica de origem ou local de moradia. As escolas e regies de vulnerabilidade social ou com baixos ndices scio demogrficos devero ser priorizadas no momento da seleo. O volume de escolas ser de aproximadamente 5% da rede, com o mnimo de oito e mximo de 30 escolas por Estado. ?Uma escola em tempo integral, at por sua carga horria diferenciada, tem custo de operao superior a uma escola regular. Desta maneira, para incentivar este tipo de escola, e entendendo o momento fiscal dos estados, decidimos subsidiar a operao de um volume de escolas, por estado?, ressaltou Mendona Filho. 

Segundo o ministro, a poltica de fomento educao em tempo integral eficaz e tem mostrado resultados altamente positivos no ensino mdio em estados como Amazonas, Gois, Rio de Janeiro e mais notadamente Pernambuco. ?Pernambuco hoje tem mais de 40% da rede de ensino mdio em tempo integral e saltou do 21 lugar do ndice de Desenvolvimento da Educao Bsica (Ideb) em 2007 para 1 lugar na ltima divulgao de resultados de 2015. Essas experincias de sucesso, com resultados concretos e consistentes, mostram um caminho para o ensino mdio que vale seguir?, afirmou.

A carga horria continuar sendo de 2.400 horas, sendo o limite mximo de 1.200 horas para a Base Nacional Curricular Comum (BNCC). As demais 1.200 horas sero voltadas para o currculo flexvel. ?A BNCC vai nortear as aprendizagens e competncias necessrias e o aluno poder cursar os componentes curriculares definidos por esse documento. E na parte flexibilizada do currculo, o estudante que optar pelo aprofundamento e formao na rea de cincias sociais e humanas, por exemplo, dedicar ainda mais tempo para os componentes curriculares como filosofia ou sociologia?, destacou o ministro.

O Novo Ensino Mdio estabelece a ampliao gradual da jornada escolar conforme o Plano Nacional de Educao (PNE). Para estimular e ampliar a oferta do tempo integral, o Governo Federal vai trabalhar em parceria com os estados para duplicar o nmero de alunos atualmente nesse sistema. A poltica de escolas em tempo integral vai priorizar as escolas e regies de vulnerabilidade social ou com baixos ndices sociodemogrficos. ?Nosso foco manter o aluno da escola e oferecer a ele uma educao de qualidade, dentro de um formato flexvel, atual, vivel e adequado sua necessidade e ao seu projeto de vida?, defendeu o ministro Mendona Filho.

Fonte: http://portal.mec.gov.br/component/tags/tag/39691 . Acesso aos 03/07/2018. 

Jos Antnio dos Santos

Mestre pela UFSJ

Eleito membro da Academia de Cincias e Letras 

Contato: joseantonio281@hotmail.com



Você está lendo o maior jornal do Alto Paraopeba e um dos maiores do interior de Minas!
Leia e Assine: (31)3763-5987 | (31)98272-3383


Escrito por Educação, no dia 13/07/2018


Comente esta Coluna